Histórico

Home/Grita/Histórico

O Grupo Independente de Teatro Amador (GRITA) tem origem a partir de 1972, quando um grupo de estudantes do Centro Educacional do Maranhão (CEMA), concluindo a 8ª série do 1º grau – hoje Ensino Fundamental – resolveu se reunir para dar continuidade às atividades teatrais desenvolvidas naquele estabelecimento de ensino.

Estes estudantes que, definindo-se por um trabalho independente, cria o Grupo de Estudos Gerais da Arte (EGA). Ainda sem uma característica própria, este grupo traça sua meta de trabalho, priorizando o fazer teatral como linguagem única de expressão artística a desenvolver.

O Grupo Estudos Gerais da Arte (EGA) dá origem em 14 de julho de 1975 ao Grupo Independente de Teatro Amador (GRITA), que se torna uma entidade jurídica. Sua trajetória é marcada pela aliança entre o espírito crítico e o lúdico, o questionamento e o prazer artístico, a estética e a política, que se unem em produções artísticas e culturais que valorizam o teatro popular, as ações sociais e vislumbram as questões cotidianas da sociedade.

O Grupo elege, ainda que incipiente, o teatro político como uma nova proposta de fazer teatral, dirigido a uma comunidade, residência de parte dos seus integrantes.

Há 31 anos o grupo vem atuando na comunidade do Itaqui-Bacanga, especialmente no bairro Anjo da Guarda, em São Luís, no Maranhão. Logo se incorporou à dinâmica da comunidade, através do Centro Comunitário Católico, com uso da metodologia de teatro popular.

As principais fontes inspiradoras foram o CEMA, que por meio de uma política educacional, estimulava seus alunos, entre outras coisas, a terem interesse pelas artes nas suas mais variadas formas de expressões artísticas, sensibilizando o estudante através da disciplina Educação Artística. Também a Federação de Teatro Amador do Estado do Maranhão (FETAMA) e a Confederação Nacional de Teatro Amador (CONFENATA), que tinham posturas eminentemente crítica, de caráter combativo, que contrariava a política antipopular dos sucessivos governos militares. Somam-se as fontes inspiradoras as referências de trabalhos regidos pela Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, Sociedade de Defesa da Ilha, Comissão Pastoral da Terra e o Centro Comunitário Católico do Anjo da Guarda.

A marca da produção do Grupo GRITA foi sempre a investigação dos temas do cotidiano da comunidade e do Maranhão, entre os quais os conflitos agrários e as discriminações retratados sob a forma lúdica. O Grupo GRITA vem através do teatro, participar na luta por melhores condições de vida para a população, propondo despertar noções de cidadania, através do trabalho que realiza, como espetáculos, cursos, oficinas, capacitação para jovens.

Sabe-se ainda que, ao longo do tempo o crescimento do trabalho do Grupo é reconhecido na comunidade e fora desta, podendo citar como exemplo o espetáculo Via Sacra, apresentado há vinte e cinco anos no bairro Anjo da Guarda, que incorporou em 2006, a discussão sobre as pessoas portadoras de deficiência, com o tema “Levanta-te e vem para a Vida!”. O público estimado pela polícia militar foi de 200 mil pessoas durante os dois dias de apresentação.